Por: Vania Mugnato de Vasconcelos

Não há maior ilusão do que essa que escutamos ou dizemos nos velórios de alguém que nos importa. O descanso não faz parte das leis divinas, Deus é produtivo e criou leis produtivas, basta ver que o ser humano só mantém a saúde física e mental através de trabalho.

Mas o que é trabalho? É toda atividade útil: ler, estudar, fazer exercícios, construir, refletir, criar, ou seja, atuar moralmente, intelectualmente, fisicamente.

Por que ao morrer não há descanso? A razão é mais fácil de entender se você se imaginar pela eternidade no quadro que conhecemos popularmente como céu: feche os olhos, respire fundo, imagine que está sentado numa nuvem, "descansando", imagine no ar sons de harpas e anjos volitando de um lado para outro. Quem está cansado das lutas da vida talvez aprecie isso por um dia, uma semana, um mês... mas pela eternidade? Eu não suportaria. Obviamente não ficaria mais fácil analisar a situação no conhecido quadro do inferno, passar a eternidade “descansando” enquanto se é consumido num fogo sem fim.

E qual a alternativa? Segundo o Espiritismo, a doutrina mais lúcida e racional a respeito das coisas de Deus, da vida, do espírito imortal, continuaremos sendo o que somos, ou melhor, o que nos tornamos durante a existência carnal. Desde o nascimento alguns progridem, outros permanecem maus, inconsequentes, irresponsáveis. Alguns se esforçam e evoluem, outros se acomodam e estagnam.

Desse modo, a vida após a morte será compatível com o que cada um construiu para si. Os bons continuarão sendo bons e desejarão permanecer úteis, buscarão atividades construtivas no mundo espiritual e em contato com os encarnados. Os maus sentirão as consequências de seus atos e sentimentos, claro, mas como Deus é bom e justo, quando se arrependerem (e isso acontecerá, pois ninguém suporta a infelicidade eterna) poderão recomeçar na vida encarnada para escolher novas jornadas, tomar novas decisões, conhecer a bondade e o amor.

Claro que para algumas pessoas o que falo é conversa fiada de fanático religioso, sem prova. Questionam: se for verdade, por que não lembramos o que fomos em outras vidas?! Não pretendo dar curso de Espiritismo nesse texto, há 05 obras básicas (codificação espírita) que explicam isso tudo e mais um pouco para quem quiser entender. O que pretendo é, na dúvida, motivar para que ajamos para o bem, pelo bem, para o progresso, pelo progresso. Se por acaso o Espiritismo estivesse enganado, o que se perderia sendo bom? Nada! Mas se estiver certo, e está, o que se ganharia sendo mau? Nada.

Os cidadãos do mundo estão instáveis, agressivos, infelizes, sentem pânico, estão repletos de doenças psicológicas, psiquiátricas, físicas, tudo porque não se sabem amar. Não quero isso para mim nem para você. De minha parte, procuro seguir o lema "morreu e continuou trabalhando", por isso escolhi a produtividade e a atividade construtiva e útil, projeto para seguir até quando e depois que a morte me chamar.


A vida de Chico Xavier