Fonte: Blog Rita Ramos Cordeiro - Por: Rita Ramos Cordeiro / Imagem: Pixabay

Já dizia a frase: "Como dói uma saudade".

Saudade é um sentimento que não precisa ser necessariamente ruim, pode trazer boas lembranças.

É de um sentimento melancólico devido ao afastamento ou perda de uma pessoa, coisa, um lugar ou a ausência de boas experiências vividas. A saudade faz lembrar com carinho dos bons momentos compartilhados, do afeto e amor envolvido, mas para que isso aconteça é necessário viver, sentir e compreender o luto da melhor maneira possível.

O luto faz parte de um processo natural e necessário de assimilar o quanto as mudanças de ciclos são importantes.

Luto
O luto é um processo emocional de vivenciar a perda de alguém ou algo que amamos. Não envolve apenas a morte, mas também, fins de relacionamentos, mudanças de emprego, perda da saúde e pode tornara a vida vazia e sem sentido.

Os sentimentos vividos transcendem a tristeza, pois englobam emoções e reações, como tristeza, raiva, negação e aceitação, que se alternam ou ocorrem em diferentes momentos.

O luto varia de pessoa para pessoa, pois depende de vários fatores, como Espiritualidade, cultura, família, personalidade.

Cada ser humano lida com a perda e luto de maneira diferente. É importante haver elaboração para o processo de cura, aceitação e readaptação à nova realidade.

Quais os sintomas do luto?
O luto pode se manifestar na vida das pessoas de diversas maneiras, e pode afetar a saúde física e emocional, causando grande sofrimento.

Sintomas emocionais: tristeza, estresse, choque, ansiedade, culpa, raiva, medo.

Sintomas físicos: Sudorese, fadiga, palpitação, náusea, problemas digestivos, imunidade baixa, perda ou ganho de peso, insônia, dores, entre outros.

Quais as fases do luto?
Conforme o trabalho realizado com doentes terminais pela psiquiatra Elisabeth Kubler-Ross, as fases do luto são:

Negação
A perda causa um grande impacto nos sentimentos e emoções, que é comum negar o fato. Conforme começa a aceitar as coisas, inicia-se o movimento para a superação.

Raiva
A raiva é uma tentativa de esconder e mascarar as emoções. É direcionada para o objeto da perda; o familiar falecido, o responsável pela demissão, quem rompeu o romance, etc.

Quando se permite viver essa raiva, as emoções são percebidas e ela perde a força.

Negociação ou barganha
Nessa fase a pessoa tenta reencontrar formas de sair daquela situação, procurando respostas que lhe dê desfechos diferentes (mesmo que impossível). Fica se perguntando o que poderia ter feito para evitar o fato para que não tivesse acontecido, faz promessas a Deus ou a si mesma para amenizar sua dor. É uma necessidade desesperada de ter controle da situação.

Depressão
A depressão no luto é um processo natural, pois é um dos muitos meios para a cura.

É pouco provável não ter depressão após uma perda, e a pessoa se vê numa intensa angústia sem saber como seguir sozinho. É um estágio de profunda dor.

Ocorrem sentimentos de vazio, desânimo, tristeza, que parece durar para sempre.

Aceitação
Grande parte das pessoas jamais esquece uma grande perda ou fica bem.

A aceitação é sobre reconhecer a nova realidade, compreendendo que nada mais será como antes, é aceitar que mudanças serão feitas, ciclos se fecham, é preciso tentar seguir em frente da melhor maneira possível.

É entender que a saudade será eterna, mas que é possível conviver com ela, com boas lembranças, aprendendo a recomeçar, vivendo o presente, e abraçando as oportunidades quando elas surgirem para viver bem no futuro.

Como lidar com o luto
Cada ser humano lida com a perda e o luto de maneira diferente. É importante a elaboração de todos os sentimentos e emoções para a aceitação de uma nova realidade.

Muitas vezes, a dor é tão intensa que a ajuda de um psicólogo, psicanalista ou terapeuta pode ajudar a transpor todas as etapas do luto até o processo da cura.

Quanto tempo dura o luto?
O luto acontece com todos, porém nem todas as pessoas vivenciam todas as fases, a sequência ou duração delas.

Mesmo que a dor seja forte e possa parecer sem fim, o luto se acaba um dia.

Permita-se sentir as emoções, busque apoio para aliviar a carga emocional, cuide de sua saúde física, tenha uma rotina, e lembre-se de que não há dor que dure para sempre.

Espiritualidade
A espiritualidade proporciona ao ser humano a possibilidade de encontrar um significado para a vida, entender a morte e seu propósito.

No processo do luto, a espiritualidade fornece um quadro de conforto espiritual, da existência de um plano superior maior ou de uma vida após a morte que traz a ideia de que o familiar está em um lugar melhor ou que existe a possibilidade de se reunir novamente.

A espiritualidade também leva as pessoas a questionar suas crenças e buscar um entendimento mais profundo da espiritualidade e da existência. Muitas vezes fornece meios para expressar emoções. A oração, a meditação e outras práticas espirituais podem ser formas de lidar com a tristeza e dor.

A participação em grupos religiosos ou espirituais pode conectar pessoas enlutadas a uma comunidade que compartilha valores e crenças semelhantes. Isso pode ser um apoio valioso durante o luto.

O papel da espiritualidade no luto varia muito de pessoa para pessoa. Algumas pessoas encontram consolo na espiritualidade, enquanto outras podem se apoiar em recursos diferentes para lidar com a perda. O importante é que cada indivíduo encontre maneiras saudáveis de enfrentar a perda e buscar apoio quando necessário, seja através da espiritualidade, terapia ou grupos de apoio.


A vida de Chico Xavier

Informativo do Clube do Livro

Digite seu nome

Digite seu email

Invalid Input

Captcha
Invalid Input